START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH

image3

Como escolher o enxaguante bucal mais adequado para o seu uso?

O uso do enxaguante bucal é muito importante para a máxima proteção contra cáries, gengivite e o mau hálito, porém, poucas pessoas sabem qual o melhor enxaguante bucal para acabar com estes e outros “vilões” do sorriso perfeito.

Isso porque existem várias opções de enxaguantes bucais nas farmácias e supermercados e muitas vezes a própria apresentação do produto pode confundir na hora de escolher o mais adequado, como a cor do líquido e a presença de álcool na composição, por exemplo.

Portanto, preparamos este artigo para explicar tudo o que você precisa saber sobre enxaguantes bucais e os principais cuidados com a utilização deste tipo de produto. Confira!

image1
Saiba como identificar qual o melhor enxaguante bucal para o seu uso!

Quais os tipos de enxaguantes bucais?

Existem diversos fatores que diferenciam os enxaguantes bucais.

Alguns tipos são classificados como antissépticos bucais, e portanto, são ideais para quem sofre com dores e sangramentos nas gengivas, por exemplo.

Mas em meio a tantas opções, como os enxaguantes com flúor e efeito clareador, outros detalhes devem ser analisados na escolha e utilização do melhor tipo de enxaguante bucal para o uso diário ou no tratamento de complicações nos dentes e gengivas, conforme mostraremos a seguir.

Acompanhe e descubra qual o melhor enxaguante bucal para as suas necessidades.

Com ou sem álcool

Muitos acreditam que os enxaguantes bucais com álcool são os melhores para exterminar os germens e bactérias que foram a placa bacteriana.

Na verdade, este tipo de enxaguante resseca a boca, prejudica a mucosa oral e ainda desgasta o esmalte dentário, causando porosidade.

Dentes porosos absorvem mais os corantes dos alimentos e, por isso, tendem a amarelar.

CTA

É por essas razões que a maioria dos dentistas recomenda o uso de enxaguantes bucais sem álcool para pessoas que não apresentam problemas bucais específicos.

Com flúor

Enxaguantes bucais fluoretados ajudam a proteger os dentes das cáries e são indicados para o uso diário.

É importante utilizar enxaguantes com flúor para manter o esmalte dentário fortalecido e impedir a perda de minerais, ou seja, a desmineralização dentária, provocada pela ingestão de bebidas alcoólicas, refrigerantes, sucos e produtos que contêm acidez.

A ingestão desses produtos em excesso desgasta as camadas externas dos dentes e isso facilita a formação das cáries.

O enxaguante bucal com flúor não oferece riscos de amarelar os dentes.

Antissépticos

Quando você não sabe qual o melhor enxaguante bucal para as suas necessidades, pode adquirir um produto contendo gluconato de clorexidina (ou apenas clorexidina), por exemplo.

A clorexidina é um ingrediente da classe dos antissépticos bucais e ajuda a eliminar as bactérias que vão se acumulando na boca após as refeições.

Porém, o uso de antissépticos é restrito, pois assim como os enxaguantes bucais com álcool, podem causar complicações quando utilizados diariamente.

Como escolher o enxaguante bucal mais adequado?

Diante de tanta variedade de produtos comercializados de forma livre, pode até parecer “fácil” definir qual o melhor enxaguante bucal, analisando critérios como “preço” e “sabor”, porém, é importante conhecer a composição para o uso do produto mais adequado.

Dentes sensíveis, sangramento na gengiva e diabetes são alguns fatores que exigem atenção redobrada na escolha do enxaguante bucal.

Portanto, fique de olho nas informações dos tópicos a seguir e saiba o que levar em conta antes de comprar o seu próximo enxaguante:

Tratar o mau hálito

Os enxaguantes bucais não “eliminam” propriamente o mau hálito.

Na verdade, o enxaguante bucal purifica a região oral e refresca o hálito temporariamente.

Quem sofre de halitose (mau hálito) deve procurar orientação médica, pois o motivo pode ser alguma patologia grave, como diabetes ou doenças renais.

Outros motivos incluem refluxo gástrico e até mesmo problemas na própria boca, como a gengivite, por exemplo.

Qual o melhor enxaguante bucal para tratar o sangramento na gengiva?

Pessoas que sofrem com sangramento na gengiva (gengivite) e sensibilidade nos dentes podem apostar nos antissépticos bucais.

Os antissépticos eliminam as bactérias causadoras do mau hálito (provocado pela gengivite) e são ótimos para qualquer outro problema periodontal, reduzindo os riscos de uma infecção nos pacientes que já fizeram ou que farão cirurgia na boca.

Entretanto, o uso de antissépticos bucais deve ser feito sob orientação médica, uma vez que o excesso acarreta em danos e manchas amareladas nos dentes.

É recomendável a utilização de antissépticos bucais somente uma vez por uma semana.

Preocupação com cáries

Para evitar a proliferação de bactérias e, com isso, reduzir as chances de surgimento de cáries, o ideal é usar um enxaguante bucal com flúor.

Enxaguantes bucais com flúor podem ser usados diariamente e por pessoas que têm uma boa saúde bucal sem o risco de amarelar os dentes ou causar qualquer outro dano à flora natural.

Outra preocupação são os enxaguantes adocicados. Alguns contêm sorbitol, um adoçante cuja promessa é deixar o produto mais agradável, porém, sem causar cáries.

Enxaguante bucal não clareia os dentes

Existem muitos produtos de higiene bucal para clarear os dentes, porém, é importante saber que o enxaguante bucal não funciona como clareador.

Na verdade, os enxaguantes clareadores servem como aliados no tratamento de clareamento dental, isto é, podem ajudar a manter os dentes claros após o procedimento, já que contêm em sua fórmula o peróxido de hidrogênio, um componente que libera oxigênio na boca e abre os prismas do esmalte dentário.

E se você estiver se perguntando “qual o melhor enxaguante bucal para usar depois do procedimento de clareamento dentário?”, saiba que o “transparente” é o mais indicado pelos dentistas.

Portanto, se ainda não fez clareamento dental, não espere que um enxaguante com essa promessa faça o milagre de tornar seus dentes brancos.

Os dentes podem ter uma aparência mais limpa, porém, não ficarão brancos como se você tivesse saído de um tratamento específico.

Isso acontece porque algumas bactérias são essenciais para o controle da acidez bucal e o uso constante de antissépticos prejudica a mucosa e resseca a boca.

image2

O enxaguante bucal proporciona uma sensação refrescante, mas é preciso utilizar o tipo adequado.

Quais os principais cuidados com o enxaguante bucal?

Como já mencionado, a escolha incorreta do enxaguante bucal acarreta complicações para a máxima proteção contra bactérias e demais problemas que podem comprometer a saúde da boca.

Mas além do tipo de produto, também é necessário ter alguns cuidados na hora de utilizar o enxaguante, os quais você confere agora:

Não ingerir o enxaguante

O seu enxaguante pode ter sabor de fruta, mas ele não foi feito para ser ingerido.

A ingestão desse tipo de produto em pessoas mais jovens e de baixo peso pode causar a náuseas e até intoxicação.

Se isso ocorrer, procure a emergência de um hospital e leve o enxaguante que causou o problema.

Cuidado com o corante

Quem tem diabetes não pode usar qualquer tipo de enxaguante bucal. É importante prestar atenção àqueles que contêm corantes.

Enxaguantes bucais com corantes podem apresentar um alto nível de açúcar e ser bastante prejudiciais aos diabéticos, que por sua vez precisam controlar os níveis de glicose de forma rígida, principalmente nas refeições.

Portanto, fique sempre atento(a) à composição antes de comprar o produto.

Não diluir o enxaguante com água

Diluir o produto com água pode diminuir o ardor que alguns, mesmo sem álcool, provocam na boca, mas não é uma atitude correta.

Os efeitos dos princípios ativos são alterados e reduzidos.

Restrições às crianças

Apenas crianças acima de 3 anos podem usar enxaguantes bucais e, mesmo assim, somente aqueles sem álcool e sem flúor.

Usar fio dental e escova de dente

Não deixe de usar o fio dental nem de escovar os dentes.

O uso do enxaguante bucal não anula todo o processo de higiene que devemos executar para manter a boca saudável.

CTA FINAL 2

Trata-se de um complemento que ajuda a eliminar as bactérias restantes que não foram totalmente removidas somente com a escovação.

Como usar o enxaguante bucal?

Agora que você já sabe qual o melhor enxaguante bucal para diferentes situações, chegou o momento de descobrir como usar corretamente o produto para obter os resultados que você deseja e precisa.

Confira as dicas e veja o que fazer (e o que não fazer) com o enxaguante bucal:

  • Adicione o enxaguante na própria tampa até a marca indicada;
  • Realize os bochechos por 30 segundos de modo a atingir toda a boca;
  • Não engula. Cuspa o produto no lavatório;
  • Não enxágue com água. Como o produto é um enxaguante não há necessidade de lavar a boca em seguida;
  • Use o enxaguante preferencialmente à noite após a última refeição. É nesse período do dia em que há pouca salivação e, por consequência, o efeito é mais duradouro.
image3
Use sempre a tampa como medidor para não exagerar na quantidade de enxaguante.

Viu quantos tipos de enxaguantes bucais existem?

Essas são as principais informações sobre enxaguantes bucais que você precisa saber.

Esperamos que o artigo possa ajudar no esclarecimento de dúvidas sobre o tema, além de servir como base para que você saiba identificar qual o melhor enxaguante bucal para o seu uso.

Participe desta publicação deixando o seu comentário logo abaixo e entenda mais sobre saúde bucal lendo outros artigos em nosso blog.

Até a próxima!

About the Author:Carolina Caram

Leave a Comment

Whatsapp - 8h às 18h