START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH

download

Dentes amarelados: quais são as principais causas e como evitar?

Não é difícil realizar um tratamento capaz de eliminar a péssima aparência de um dente amarelado. O problema é que, por mais esforços que empenhemos, a própria natureza dos dentes impede um resultado duradouro.

Muitos não sabem, mas o dente (ou, mais especificamente, o esmalte dentário) possui poros que retêm os alimentos em sua superfície. E quando esses alimentos são ricos em corantes, aí as consequências são piores.

image1 (4)
A principal dificuldade em manter os dentes brancos é a sua porosidade, que ajuda a reter os resíduos alimentares.

Podemos escovar os dentes com o maior empenho possível (e até mesmo eliminar boa parte do tom amarelado), mas, com o passar do tempo, os próprios hábitos alimentares contribuirão para o retorno do problema.

Outra dificuldade é o consumo de bebidas à base de corantes, o uso do tabaco, a má escovação, entre outros hábitos, que dificilmente permitem a manutenção de uma dentição com aspecto limpo e saudável.

Afinal, como vimos, a sua própria estrutura (extremamente porosa) é uma superfície ideal para a retenção de resíduos alimentares.

O caso da dentina

A dentina é a estrutura primordial do dente. Ela tem a cor amarelada e recobre a polpa (nervo) dental, enquanto é recoberta pelo esmalte.

Outra dificuldade em evitar que os dentes fiquem amarelados é o fato de que a dentina — que fica logo abaixo do esmalte — possui uma cor amarelada, graças a uma série de pigmentos escondidos nos seus poros, chamados de canalículos dentinários.

Essa dentina tende a diminuir ao longo do dente. Por isso, a sua ponta costuma ser mais branca (e muitas vezes transparente), enquanto a parte mais próxima das gengivas são naturalmente mais amareladas.

Logo, essa condição também impede a solução total do problema, pelo simples fato de que os dentes possuem as suas nuances de cores, inclusive na mesma arcada dentária. Nuances que vão do A a D, onde o A seria um dente com tom naturalmente amarronzado e o D acinzentado.

Sabendo disso, o paciente deve entender que, muitas vezes, o clareamento não se dará de maneira uniforme, já que atenderá ao tom de cada dente em específico.

Portanto, o branco absoluto é praticamente impossível (a não ser com próteses), pois o clareamento deverá atender ao tom natural de cada dente.

Um dente com uma cor A, poderá ser clareado para um tom A “mais claro”. Um dente com uma cor B, poderá ser clareado para um tom B “mais claro”, e assim sucessivamente.

Quais são as principais causas dos dentes amarelados?

1. Péssima higiene bucal

Nem só de cárie, gengivite e mau hálito sofre uma cavidade bucal mal higienizada. O tom amarelado é também uma das principais consequências dessa negligência.

Isso porque a estrutura dentária é toda formada por poros, onde os resíduos de alimentos costumam ficar retidos.

Uma boa escovação após as refeições, o uso do fio dental e consultas regulares ao dentista são suficientes para minimizar esse transtorno.

2. Uso de medicamentos

Antidiabéticos, antibióticos, anti-inflamatórios, entre outros medicamentos, podem estar por trás desse efeito.

Quimioterápicos como a mecloretamina, ifosfamida, clorambucil, etc; antibióticos, como a tetraciclina, doxiciclina, penicilina, além de anti-histamínicos, anti-hipertensivos, flúor, entre outros, também podem tornar os dentes amarelados.

image4 (3)
Apesar de necessárias, algumas substâncias dos medicamentos podem tornar os dentes amarelados.

3. Idade avançada

Assim como os demais órgãos do nosso corpo, os dentes também sofrem com o processo de envelhecimento.

Uma vida inteira de escovações, alimentação, exposição a todo o tipo de substâncias ácidas, além do fato de que a dentina, com o passar do tempo, vai sendo exposta devido ao desgaste do esmalte dental, acabam levando a esse distúrbio.

CTA FINAL

4. Alimentação

Alguns alimentos, principalmente os que contêm corantes, são grandes responsáveis pela modificação da tonalidade dos dentes.

Vinhos, chás, cafés, excesso de condimentos, entre outras substâncias, além de infiltrarem-se nos chamados “canalículos dentinários”, ainda aumentam o seu tamanho.

5. Tabagismo

Nicotina, alcatrão, arsênico, amônia, cianeto hidrogenado, nitrosaminas, pesticidas. Enfim, seria preciso uma eternidade para enumerar a quantidade de substâncias químicas presentes em um único cigarro. E além dos prejuízos já conhecidos, elas também contribuem para alterar a cor dos dentes.

6. Predisposição genética

Também é possível que a cor dos dentes seja uma herança dos seus antepassados. Em termos científicos, trata-se de uma amelogênese imperfeita (tendência à deterioração do esmalte) ou dentinogênese imperfeita (tendência à descoloração dos dentes), que ainda os tornam bem mais frágeis e porosos.

7. Uso de bebidas artificiais

Pela mesma razão dos alimentos, os sucos artificiais podem contribuir decisivamente para a alteração da cor dos dentes, principalmente quando consumidos em excesso.

A anilina, o amarelo crepúsculo, a tartrazina, o azul brilhante, entre outros compostos, além dos seus efeitos deletérios, são também responsáveis pelo tom amarelado dos dentes.

image3 (3)
Um dos alimentos mais ricos em corantes, os refrigerantes também são uns dos que mais alteram a cor dos dentes.

8. Erosão dentária

A erosão dentária é o processo de desgaste do esmalte dos dentes devido a diversos fatores, como: excesso de força durante a escovação, uso de cremes dentais abrasivos (branqueadores), alimentos extremamente ácidos, entre outros fatores.

Tais hábitos resultam na deterioração do esmalte e na consequente exposição da dentina que, curiosamente, tem a cor amarela.

Portanto, em muitos casos, o tom amarelo dos dentes nada mais é do que o resultado da exposição da dentina.

9. Branqueamento caseiro

Ultimamente, tem surgido uma onda de receitas caseiras para o branqueamento dos dentes. O problema é que, sem a técnica adequada, o resultado pode ser o desgaste do esmalte dental.

Além disso, o consumo de bebidas com corantes em suas composições, pouco tempo depois do branqueamento, facilita o processo de amarelamento.

10. Consumo de drogas

O uso de drogas ilícitas é atualmente considerado um estado de calamidade pública. No entanto, ele pode produzir efeitos bem mais triviais, por exemplo, o amarelamento dos dentes.

A cocaína e o crack reduzem o Ph da boca, facilitando a desmineralização do esmalte dental. E quando “batizadas” com solventes, algumas drogas produzem um efeito ainda mais devastador.

Como evitar o amarelamento?

1. Tenha hábitos saudáveis

O tempo não traz só experiência e sabedoria, mas também uma série de deficiências que se refletem em todas as partes do corpo.

E com relação aos dentes não poderia ser diferente. O que os nutricionistas alegam é que, quanto menor o consumo de alimentos industrializados, vinhos tintos, cigarros, e quanto melhor a higiene oral, menores serão as chances de ter dentes amarelados no futuro.

2. Melhore a higiene bucal

image2 (4)
Um hábito extremamente simples, é capaz de minimizar praticamente todos os problemas da boca, inclusive a mudança de tom dos dentes.

Escovar os dentes após as refeições, realizar uma consulta com um dentista periodicamente, além de usar o fio dental e enxaguantes bucais (sem álcool) bem que poderiam ser algo tão natural quanto realizar as necessidades fisiológicas!

Mas não é bem assim, não é verdade?

Portanto, essas atitudes dependem de esforço e persistência, já que as consequências virão para todos.

3. Evite certos tipos de bebidas

Chás, refrigerantes, vinho, chocolate, café, suco de beterraba, entre outras bebidas que possuem corantes em sua composição devem ser consumidos com moderação.

Mais uma vez, é a porosidade dos dentes que permite a fixação dos pigmentos e o seu consequente tom amarelado.

O recomendado, portanto, é o consumo esporádico desses alimentos, seguido de um bochecho com água pura durante alguns minutos até a completa remoção dos resíduos.

4. Pare de fumar

Como vimos, o cigarro possui milhares de substâncias químicas que, entre outras coisas, tornam os dentes amarelados.

A nicotina é a principal delas e, ainda, torna os dentes escurecidos, frágeis, trincados e com a aparência envelhecida.

Nesse caso, não há o que fazer além de desistir do hábito e, por tabela, cuidar da saúde do organismo como um todo.

image5 (3)
Se não bastassem os riscos à saúde em geral, a nicotina também é capaz de tornar os dentes amarelados.

5. Consulte um dentista periodicamente

Este é o profissional capaz de realizar uma boa limpeza de tártaro, ajustar próteses, remover placas bacterianas, indicar técnicas de higiene oral e tudo o mais que esteja relacionado com a saúde da boca.

No caso específico de dentes amarelos, ele será capaz de realizar o branqueamento de acordo com as necessidades e características de cada arcada dentária.

CTA FINAL 2

6. Evite a deterioração do esmalte dental

Anos de atrito entre a escova e os dentes certamente resultarão na degradação do esmalte dental. Além disso, o consumo excessivo de bebidas à base de corantes também poderá resultar nesse efeito.

Logo, o ideal é tratar o esmalte dos dentes como uma joia rara, que deve ser manuseada com cuidado, delicadeza e sem qualquer tipo de excesso.

7. Mantenha uma dieta saudável

Manter os dentes fortes é uma das maneiras de evitar esse efeito, pelo simples fato de que terá o esmalte dental protegido.

E, para isso, nada melhor que uma dieta à base de cálcio e fósforo, como: leite, iogurte, couve-flor, queijos, etc. Ou ricos em Ômega 3, como os peixes e suplementos. Mas também algumas frutas ricas em vitamina C, como: laranja, limão, acerola, entre outros.

Quais os principais alimentos que causam o amarelamento?

1. Cafés e chás

Esses são os campeões na capacidade de manchar os dentes. São bebidas à base de corantes que, ingeridas em excesso, acabam causando o transtorno.

O tanino presente nos chás contribui ainda mais para esse quadro, tornando essa bebida tão prejudicial aos dentes quanto o café — quando consumido em excesso.

No entanto, as suas qualidades acabam superando, de longe, esse desconforto. Por isso, o recomendado é utilizar, por exemplo, o leite como forma de amenizar o impacto da bebida, ou dar preferência a chás com cores menos fortes, que possuem menos corantes em sua composição.

image6 (2)
Uma bebida saborosa, agradável e popular, mas que, consumida em excesso, torna-se uma vilã para os dentes.

2. Molho de soja

O molho de soja ou molho shoyu é um tradicional condimento chinês (de acordo com a história), muito utilizado para dar cor, perfume e sabor aos alimentos.

O problema é que ele tem em sua composição cereais torrados, entre outros ingredientes, que também contribuem para o amarelamento dos dentes.

O ideal é consumi-lo esporadicamente e sempre realizar uma escovação após a sua ingestão.

3. Molho de tomate

Aqui o problema é o excesso de ácido e de corantes na composição desse produto. Isso contribui para a erosão dentária e para a consequente exposição da dentina.

Difícil é convencer alguém a abrir mão de um dos molhos mais saborosos e tradicionais que existem! Porém, alguns truques como consumir alface, brócolis e espinafre antes de ingerir o molho pode amenizar os seus efeitos.

E escovar os dentes imediatamente após as refeições evita esse acúmulo de ácidos e o consequente desgaste do esmalte dental.

4. Frutas Vermelhas

Frutas vermelhas como: mirtilos, framboesas, amoras, ameixa, groselha, entre outras, possuem qualidades nutritivas conhecidíssimas, que emagrecem, combatem o envelhecimento e até possuem efeito anticancerígeno.

Mas também são bastante conhecidas pelo seu tom escuro e vermelho que, em contato com a porosidade do esmalte, tornam os dentes manchados e amarelados.

Os mirtilos, por exemplo, são poderosos antioxidantes naturais, mas o seu tom azulado funciona como uma espécie de pigmentação para a arcada dentária.

Logo, o recomendado é, após a ingestão desse tipo de fruta, enxaguar a boca vigorosamente, ou até mesmo aplicar (com moderação) um pouco de bicarbonato de sódio nos dentes ou cremes dentais branqueadores.

5. Beterraba

Cálcio, ácido fólico, fibras, ferro, vitaminas A e C, potássio, magnésio… São inúmeros os nutrientes das folhas, talos e raízes desse vegetal, considerado “amigo do coração”. Porém, os seus compostos conhecidos como flavonoides costumam deixar os dentes amarelados.

O recomendado é, portanto, ao menos realizar bochechos com água ou enxaguantes bucais logo após consumir o vegetal.

6. Vinho tinto

O vinho tinto é um produto rico em antioxidantes que ajudam a manter o organismo jovem, reduzindo o risco de câncer, entre outros benefícios. O resveratrol, por exemplo, é um poderoso auxiliar do coração.

Porém, substâncias como: taninos, leuco-antocianos e antocianos são os responsáveis pela cor avermelhada da bebida que, em contato com o esmalte dos dentes, deixa-os com um tom vermelho alaranjado.

Aqui, mais uma vez, o recomendado são os bochechos vigorosos logo após ingerir a bebida ou mesmo uma escovação moderada.

Dentes amarelados são uma constante na vida de qualquer indivíduo. Mas, e você? Como faz para ver-se livre desse incômodo. Deixe a resposta em forma de um comentário, logo abaixo. E continue acompanhando as nossas publicações.

About the Author:Carolina Caram

Leave a Comment

Whatsapp - 8h às 18h