START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH

sorriso

Dentes pequenos: o que pode ser e qual o tratamento?

Dentes pequenos: o que pode ser e qual o tratamento?

Uma das consequências desses dentes mais curtos é um sorriso com uma gengiva proeminente ou com dentes desiguais, o que pode deixar o sorriso não muito atraente. Isso afeta facilmente a autoestima de uma pessoa, pois ela pode ficar com vergonha de sua aparência sempre que começar a sorrir.

Felizmente, este problema pode ser corrigido com o tratamento odontológico certo. Dependendo da causa, o processo pode ser bem fácil, rápido e prático. Para esclarecer o tema, vamos falar um pouco sobre os motivos de alguém ter dentes menores e quais procedimentos são indicados para corrigir o problema.

Por que tenho dentes pequenos?

Essa é uma pergunta muito importante para que o seu dentista saiba como proceder com o tratamento. Dependendo da causa dos seus dentes serem tão pequenos, alguns métodos de tratamento podem ser mais indicados.

Aqui estão três exemplos e como eles podem ocorrer:

Sorriso gengival alto

Já notou como algumas pessoas, quando sorriem, ficam com uma boa parte da gengiva exposta? Isso é o que chamamos de “sorriso gengival alto”, um sorriso onde a gengiva ocupa a maior parte do espaço. Sua causa base pode variar um pouco, como você ter uma boca maior e mais aberta naturalmente. Nesse caso, o problema não está nos seus dentes.

Porém, quando falamos em dentes pequenos, pode ser que eles não sejam curtos de verdade. Eles apenas estão cobertos por um prolongamento da sua gengiva, que fica muito acima da raiz. O resultado, naturalmente, é uma ilusão de que a parte exterior dos dentes é mais curta em relação à base, o que cria o sorriso gengival.

Como já mencionamos isso pode deixar seu sorriso com uma aparência menos agradável aos olhos, pois os dentes ficam desproporcionais em relação ao resto da boca. Especialmente se a distribuição da gengiva sobre eles for desigual, criando alguns dentes mais longos e outros mais curtos. O grau de “encurtamento” também pode variar bastante de pessoa para pessoa, o que depende da formação natural da sua arcada dentária.

Formação genética

Quase tudo que acontece no seu corpo, das formas às funções, depende da forma como o seu código genético foi estruturado na concepção. Isso inclui, dentre outras coisas, dentes que são naturalmente mais curtos ou mesmo a gengiva extensa. Mas, nesse caso, vamos falar dos dentes que realmente são pequenos, com uma distância menor entre o ápice e a raiz.

Claro que, para algumas pessoas, ter dentes desse tamanho não é um problema, nem incomum. Crianças ainda estão em fase de crescimento, enquanto outras pessoas possuem bocas, gengivas e arcadas dentárias proporcionais a esses dentes. Nesses casos, não há com o que se preocupar. Os problemas reais começam quando os dentes não crescem adequadamente de acordo com o tamanho da boca.

O resultado desse tipo de formação não é apenas um sorriso um pouco estranho. É bem provável que você tenha algumas dificuldades para mastigar adequadamente, já que o encaixe entre os dentes pode ser comprometido pelo tamanho reduzido. Nesse caso, o tratamento será um pouco diferente, pois o foco estará no tamanho natural dos dentes, não na sobreformação da gengiva.

Desgaste ou lesão dentária

Em alguns casos mais extremos, pode ser que os dentes pequenos sejam resultados de um evento externo, como um acidente, uma briga ou mesmo infecções dentárias. Dependendo da natureza do desgaste, a superfície dos dentes pode ser prejudicada, deixando-os mais curtos em relação ao resto da boca ou mesmo desiguais entre si.

Este não é bem um problema com a formação da arcada dentária, então não se encaixa perfeitamente na questão dos dentes curtos, mas também pode estar sujeito a tratamentos similares. Quando o desgaste é desigual, o dentista precisa fazer reconstruções pontuais, alinhando novamente cada um deles.

O tratamento dessas lesões pode ser um pouco prolongado caso o dente tenha algum dano profundo, que exija uma extração e uma obturação. Se esse não for o caso, os tratamentos mais convencionais e simples devem ser suficientes para dar conta de suas necessidades.

boca
Os problemas reais começam quando os dentes não crescem adequadamente de acordo com o tamanho da boca.

Quais são os possíveis tratamentos?

Dependendo da causa para os seus dentes serem mais curtos em relação ao resto da boca, há várias opções de tratamento disponíveis. Cada uma delas possui seus prós e contras e é mais ou menos adequada para cada caso. Aqui estão quatro exemplos e o contexto onde eles são mais úteis:

Gengivoplastia

Na maioria dos casos de dentes pequenos, o paciente possui o sorriso gengival alto, quando a gengiva se sobrepõe ao dente além da raiz. Nesse caso, o problema pode ser facilmente resolvido através de um tratamento plástico da gengiva, a gengivoplastia. No final do procedimento, toda a parte que deveria estar exposta estará liberada.

O tratamento é bem simples, rápido e de fácil recuperação. Leva de 30 minutos a 2 horas para ser executado pelo dentista e dura apenas uma sessão. O tempo de recuperação também é bem melhor do que a média para muitos problemas dentários. Você também não sentirá dor alguma, pois ficará anestesiado durante todo o procedimento cirúrgico.

Há duas ferramentas normalmente usadas nesse tratamento: o bisturi, que faz o corte direto da superfície da gengiva, e o laser, que, além de cortar rapidamente, também faz a cauterização do ferimento. A segunda opção apresenta um tempo de recuperação ainda mais rápido, então vai te ajudar bastante se você precisa sair logo do consultório do dentista.

Não é comum ver complicações durante a recuperação do tratamento, mas alguns profissionais preferem receitar analgésicos apenas por precaução. Enquanto a ferida da cirurgia estiver cicatrizando, ela pode provocar algum desconforto e sensibilidade. Porém, depois de algumas semanas, tudo estará no lugar e sua gengiva não vai crescer novamente.

sorriso
gengivoplastiaA gengivoplastia é uma cirurgia estética muito utilizada para a reparação e melhora de sorrisos co dentes relativamente pequenos. Fonte: PicLuck

Prótese cerâmica

Se o problema não está na gengiva estendida, mas sim no comprimento real dos dentes, então é mais provável que você receba uma prótese cerâmica no lugar de uma cirurgia. Como o nome já diz, estas próteses são lâminas feitas de cerâmica, bem semelhantes a uma lente de contato, que possuam uma cor bem próxima do branco puro, o ideal para todos que querem um belo sorriso. Estas são colocadas sobre os dentes já lesionados ou encurtados, colocando-os no tamanho correto.

Como você já deve imaginar, estas próteses precisam ser feitas sob medida, pois cada arcada dentária é única. Mesmo que o tamanho ideal seja, em tese, único, sua boca pode não dar suporte para este formado. Isso quer dizer, também, que o tratamento pode ser um pouco mais caro e demorado no começo, pois as peças ainda precisarão ser fabricadas antes de serem aplicadas.

Com a adição destas lâminas, você já deve evitar a maior parte dos desconfortos com a mastigação e na hora de sorrir, além de melhorar sua aparência. Você só precisa tomar cuidado extra com os dentes enquanto usar estas próteses, pois elas não substituem totalmente os dentes naturais em questão de preservação.

Aparelho ortodôntico

Em alguns casos, especialmente em crianças cuja arcada dentária ainda está se formando, o dentista pode utilizar um aparelho ortodôntico para evitar que se forme um sorriso gengival alto. Dependendo do caso, ele pode ser usado em conjunto com outras funções, como no alinhamento de dentes. Tudo depende do exame realizado pelo dentista.

O modelo do aparelho também deve ser um pouco mais específico, pois ele precisa ajudar na conformação da gengiva assim como na dos dentes em crescimento. Caso a criança tenha muitas dificuldades para se adaptar ao aparelho, pode ser melhor esperar que a gengiva se forme naturalmente e depois arrumá-la com a gengivoplastia na vida adulta.

Toxina botulínica

Os dentes pequenos também podem ser tratados com botox. Pode parecer muito estranho, mas esse tipo de procedimento é cada vez mais comum, especialmente para a estética dentária e facial como um todo.

Como você já deve ter ouvido falar, a toxina botulímica é uma substância normalmente prejudicial, que causa paralisia de alguns nervos. Porém, quando aplicada em pequenas doses e nos pontos certos, ela ajuda a reduzir pequenas tensões musculares e diminuir o efeito de rugas.

Nesse caso, o dentista não trabalha com a gengiva ou com os dentes, mas sim com a abertura da boca no momento do sorriso. Ao aplicar o botox, ele ajuda a controlar a extensão dos lábios na contração muscular do sorriso, fazendo com que uma parte menor da gengiva fique exposta. O resultado é um sorriso mais harmonioso e sereno, ótimo para quem não possui dentes curtos de verdade.botoxAgora que você entende melhor as causas e tratamentos dos dentes pequenos, é hora de buscar seu dentista e decidir se precisa ou não de algum deles. Para continuar se informando sobre odontologia, assine nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossas novidades.

About the Author:Carolina Caram

Leave a Comment

Whatsapp - 8h às 18h