START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH

mordida

Mordida cruzada: saiba o que é, seus principais sintomas e tratamento

O que é a mordida cruzada?

Durante a infância e a adolescência, ocorrem contínuas mudanças na estrutura e no funcionamento do organismo.

Na saúde bucal, também ocorrem alterações significativas, e você precisa estar atento a todas elas.

Essa fase é crucial para tratar os possíveis problemas bucais que se originam em decorrência do crescimento do corpo e, assim, não permitir que eles gerem mais complicações futuras.

Um importante problema que precisa ser identificado precocemente é a mordida cruzada, que, embora atinja boa parcela da população, muitas vezes, é difícil de ser diagnosticada.

Respondendo à pergunta do início do item, mordida cruzada é a má oclusão da articulação entre os maxilares, conferindo uma condição assimétrica da cavidade bucal. É, também, conhecida como mordida invertida.

Em outras palavras, quando se encosta os dentes inferiores nos superiores, os primeiros devem se fechar por dentro dos seus antagonistas.

No entanto, frente a um caso de mordida cruzada, ocorre exatamente o contrário: os inferiores se fecham para fora, deixando os superiores para o lado de dentro.

É uma falha relativamente frequente na população e pode apresentar-se como cruzada unilateral (inversão do fechamento dos dentes em apenas um dos lados) ou como cruzada bilateral (ambos os lados envolvidos).

É um problema sério, que pode trazer consequências indesejáveis, principalmente no desenvolvimento dos ossos da face de crianças e de adolescentes, originando déficits na fonação, na mastigação e na respiração.

Além do comprometimento fisiológico, a mordida cruzada traz um problema estético que, especialmente quando se é criança ou adolescente, tem boas chances de afetar a autoestima.

Ainda, a mordida cruzada pode ter outros efeitos que caminham contra uma vida saudável, sendo alguns deles o aumento do risco de cáries e de doença das gengivas.

Essas doenças acontecem, principalmente, pela dificuldade em escovar corretamente os dentes.

Mas os prejuízos não são exclusivos dessas faixas etárias. Os adultos que apresentam tal agravo também enfrentam condições negativas.

São algumas delas: dores de cabeça e zumbido nos ouvidos (devido ao indevido funcionamento articular entre os maxilares – ATM), aumento na recessão gengival, fraturas, desgastes e perda de dentes.

Há distintos tipos de mordidas cruzadas, de acordo com a localização do problema. Se não tratados a tempo, nos primeiros anos da infância ou da adolescência, podem evoluir e ocasionar problemas sérios de saúde.

Mordida cruzada posterior

Quando o desalinhamento dentário ocorrer em regiões posteriores da cavidade dentária, a mordida cruzada se denomina posterior ou lateral.

Se a alteração for em apenas um dos lados, será denominada unilateral. Caso contrário, se comprometer ambos os lados da boca, será bilateral.

Esquema didático que demonstra um caso de mordida cruzada posterior. Fonte: Google.
Esquema didático que demonstra um caso de mordida cruzada posterior. Fonte: Google.

Mordida cruzada anterior

Se a alteração de posicionamento acontecer apenas nos dentes da frente, o caso se caracteriza por mordida cruzada anterior.

Esquema didático que demonstra um caso de mordida cruzada anterior. Fonte: Google.
Esquema didático que demonstra um caso de mordida cruzada anterior. Fonte: Google.

Quais são as principais causas da mordida cruzada?

São vários os fatores desencadeantes de tal comprometimento dentário, sendo os mais comumente relatados:

  • Crescimento anômalo dos dentes;
  • Falta de espaço na cavidade dentária;
  • Hábitos como roer unhas e distintos materiais;
  • Uso prolongado da chupeta;
  • Respiração pela boca;
  • Perda precoce dos dentes de leite;
  • Perda tardia dos dentes de leite;
  • Atraso no crescimento dos dentes permanentes;
  • Desenvolvimento incorreto dos maxilares;
  • Postura incorreta;
  • Fatores genéticos.

Quando há um problema anatômico no nariz ou na garganta, a criança pode adotar o comportamento contínuo de respirar pela boca e, quando isso acontece, a língua fica constantemente elevada e repousada no céu da boca.

Essa situação pode prejudicar o desenvolvimento do maxilar, causando o desalinhamento dos dentes.

Ter o hábito de respirar pela boca é um fator de risco de mordida cruzada. Fonte: Google.
Ter o hábito de respirar pela boca é um fator de risco de mordida cruzada. Fonte: Google.

Quais são os sintomas?

Identificar uma pessoa com mordida cruzada pode não ser difícil.

Para isso, é preciso identificar alguns sintomas indicativos do problema, como: dores de cabeça frequentes, ruídos no ouvido, dificuldades de movimentação do maxilar, elevada sensibilidade dentária, perda de gengiva e, inclusive, perda de osso do maxilar.

Dores de cabeça e ruídos nos ouvidos são alguns dos sintomas provocados pela mordida cruzada. Fonte: Google.
Dores de cabeça e ruídos nos ouvidos são alguns dos sintomas provocados pela mordida cruzada. Fonte: Google.

Caso um ou mais desses sintomas estejam presentes, é imprescindível que se procure um dentista.

O diagnóstico precoce de mordida cruzada eleva as chances de o tratamento ser um sucesso, bem como a conquista de uma cavidade bucal saudável.

E o tratamento?

O tratamento para a mordida cruzada deve ser iniciado durante a infância ou no início da adolescência, quando os dentes definitivos ainda estão crescendo.

No entanto, não pense que é apenas nas fases iniciais da vida que o tratamento pode ser posto em prática. Existem certos procedimentos e estratégias que podem ser usadas no adulto.

Aparelho expansor

Na infância, a partir da fase em que a criança possa colaborar com os procedimentos, deve-se iniciar o tratamento o mais rápido possível, recorrendo ao uso de aparelho ortodôntico para corrigir a mordida cruzada.

É bom lembrar: o desalinhamento não regride sem intervenção.

O tratamento ortodôntico consiste na colocação de um aparelho removível com parafuso expansor e, por vezes, com molas. Também pode ser feita a aplicação de um disjuntor palatino.

Independentemente da forma de fixação, ambas as medidas são utilizadas com a finalidade de fazer expandir o maxilar e, desta forma, resolver o problema do desalinhamento dos dentes.

O expansor de palato é um aparelho fixado no céu da boca, entre os molares, cuja função é alargar o palato, empurrando os dentes para fora.

Em intervalos de tempo indeterminados, esses aparelhos vão ficando frouxos na região do palato, pois alargaram a estrutura ao aplicar tensão.

Para que o expansor funcione adequadamente, é preciso fazer retornos regulares ao dentista, com a finalidade de ir aumentando gradualmente o tamanho da estrutura e da capacidade de tensão do aparelho.

Tal aparelho funciona bem em crianças, pois o céu da boca ainda está se desenvolvendo, sendo possível controlar melhor seu tamanho.

No entanto, nada impede que seja utilizado por um adulto, dependendo das recomendações feitas pelo dentista.

Extração dentária

Outra estratégia é a remoção de dentes, mais realizada em casos nos quais a mordida é alterada por influência dos dentes inferiores.

Após uma ou mais remoções, o dentista cria espaço suficiente para que os dentes possam crescer adequadamente, sem afetar o alinhamento.

Aparelho fixo

Agora, uma das formas mais utilizadas é o aparelho dentário fixo, principalmente durante a adolescência e a idade adulta, se a mordida cruzada ocorrer isoladamente em um ou outro dente separadamente.

Essas estruturas, quando colocadas em contato com a cavidade dentária, ajudam a puxar os dentes para o local correto e, assim, alinhá-los.

Quanto ao tempo de uso do aparelho, é bastante variável. Depende do grau de alteração da mordida e da idade e pode ser usado entre alguns meses até vários anos, conforme as características próprias de cada pessoa.

Cirurgia

Para os adultos, a cirurgia ortognática é o tratamento mais eficaz diante de um caso de mordida cruzada.

Embora seja mais invasiva, produz os resultados com melhor estética.

Apenas para citar alguns detalhes do procedimento, para fazer esse tipo de cirurgia, o cirurgião secciona o maxilar em várias partes e, depois, utiliza parafusos e aparelhos dentários para recolocá-los no local correto.

Uma dica importante:

Levando em consideração que grande parte dos tratamentos para a mordida cruzada utilizam algum tipo de aparelho fixado nos dentes, é imprescindível manter uma higiene bucal adequada, principalmente para evitar o surgimento de cáries e de doenças das gengivas.

Assim, aconselha-se colocar em prática alguns métodos preventivos de higiene bucal, como escovar bem os dentes após cada refeição, fazendo uso adequado, também, do fio dental.

Da mesma maneira, deve-se evitar comer alimentos muito doces ou que grudem facilmente nos dentes, pois podem deixar restos mais difíceis de eliminar e que facilitam o crescimento de bactérias.

Oferecer atenção especial à higiene bucal, ao menos três vezes ao dia, especialmente no caso de pessoas que utilizam aparelhos fixos para a correção da mordida cruzada, é garantia de um sorriso saudável

Gostou do artigo? Ele auxiliou você a entender melhor sobre o que é a mordida cruzada, seus fatores de risco, os principais sintomas e as estratégias de tratamento? Então, curta, compartilhe com seus amigos e com sua família e adote o costume de cuidar bem da sua saúde bucal!

About the Author:Carolina Caram

Leave a Comment

Whatsapp - 8h às 18h