START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH

image2 (3)

Ortodontia na fase adulta: como e por que fazer um tratamento?

Diferentemente do que se imagina, o uso de aparelhos ortodônticos não é um privilégio de crianças e adolescentes.

A maioria dos especialistas é categórica ao afirmar que não existe idade nem razões especiais para se corrigir algo que não está funcionando bem, e, obviamente, a ortodontia em adultos enquadra-se bem nessa teoria.

A diferença básica, aqui, está na motivação ou impulso necessário para que se leve a termo um tratamento como esse.

image1 (3)
A diminuição do preconceito e melhores condições financeiras estão entre as principais causas dessa adesão dos adultos.

No caso das crianças, elas não precisam contar com a sua própria iniciativa, já que essa tarefa fica por conta dos pais, que são os responsáveis pelos cuidados com a sua educação, lazer, bem-estar e, obviamente, com a sua saúde.

Superada essa fase da motivação inicial para a busca de um tratamento, de acordo com Williams et al. (82), os avanços tecnológicos na área da ortodontia são, sem dúvida, grande motivador para a busca, cada vez maior, de adultos por tratamentos que corrijam os mais diversos tipos de transtornos bucais.

Hoje, diferentemente do que ocorria no passado, é bastante comum encontrar indivíduos com 50, 60 ou até 70 anos de idade com praticamente todos os seus dentes na boca.

CTA FINAL 2

Isso significa a possibilidade de realizar os mais diversos procedimentos relacionados à qualidade da cavidade oral, desde o realinhamento oclusal, correção de transtornos periodontais, até a criação de condições para a colocação de implantes, entre outros procedimentos.

Hoje, o tratamento ortodôntico em adultos pode, sim, ser considerado uma realidade! E, a partir do final dos anos 90, o que se viu foi seu aumento significativo, com pelo menos 50% dos tratamentos sendo realizados em indivíduos acima de 18 anos.

Em quais casos os aparelhos dentais são necessários?

De um modo geral, a correção do desalinhamento oclusal e recuperação da saúde dentária apresentam como as principais razões questões estéticas que levam indivíduos adultos a buscarem um tratamento ortodôntico.

Graças à diminuição do preconceito com a relação à utilização de artifícios considerados próprios da juventude, além da independência financeira que os permite assumir tal despesa, muitos indivíduos buscam corrigir os defeitos e desalinhamentos existentes desde a infância e que, muitas vezes, foram responsáveis por alguns traumas que os acompanharam por toda a vida.

No entanto, na opinião de especialistas, são inúmeras as situações para as quais um aparelho ortodôntico é necessário nessa fase. Entre elas: recuperação da fisiologia oral, criação de condições anatômicas para   colocação de próteses, modificação do posicionamento dos dentes, alinhamento da arcada dental, entre outras correções.

Nesses casos, o resultado virá na forma de correção da mastigação, fala, respiração, harmonia facial, ganho estético, melhores condições para a perfeita higienização oral, entre vários benefícios que, não só têm a ver com os cuidados necessários com a boca como podem afetar o indivíduo positivamente em todos as dimensões da sua vida.

Apesar de ser amplamente indicado, até mesmo para adultos, segundo especialistas, é preciso levar em consideração algumas variáveis que, certamente, interferirão no tratamento e nos resultados futuros.

É preciso, por exemplo, atentar para o fato de que, nos adultos, o desenvolvimento da estrutura óssea é bem menor do que em crianças e adolescentes. Por isso, o tratamento não oferece as mesmas garantias de resultados, uma vez que a movimentação da arcada dentária é bem menor, entre outras características que os diferenciam.

Como o aparelho mais recomendado é escolhido?

Antes de mais nada, é preciso ter em mente que somente um profissional em ortodontia será capaz de determinar qual o aparelho recomendado para cada caso.

Para tal, ele vai avaliar questões como: qualidade e quantidade de dentes na boca, qualidade da estrutura óssea, necessidades ou objetivos pessoais do paciente, idade, condição financeira, entre outras variáveis, que podem estar relacionadas a fatores objetivos ou subjetivos.

  • Um exemplo disso, é o uso dos tipos mais comuns, que são os metálicos. Esses são mais baratos, resistentes, respondem bem ao processo de limpeza, mas não apresentam a discrição e a característica de originalidade e modernidade de outros modelos.
  • Já os transparentes são mais fáceis de manipular durante o tratamento, oferecem excelente efeito estético, mas não são tão eficientes e baratos quanto os metálicos.
  • Para os adultos, também são bastante indicados os aparelhos ortodônticos linguais. Eles são mais caros e aplicados na parte de trás dos dentes e, devido a essas suas características, são chamados de “aparelhos invisíveis”.
  • E, por fim, os chamados “alinhadores sequenciais”. São uma febre em todo o mundo e consistem em uma tecnologia americana que produz, de forma digital, uma espécie de aparelho transparente e removível.
image2 (3)
Adultos costumam escolher um aparelho ortodôntico na forma de “alinhadores sequenciais”, pela sua discrição e rapidez do tratamento.

Cuidados para quem usa aparelhos bucais

1. Alimentação

Não são diferentes, na sua essência, os cuidados que um adulto com aparelho ortodôntico deve ter em relação à alimentação.

De um modo geral, os alimentos muito duros e pegajosos costumam quebrar os bráquetes, fios e bandas (anéis colocados nos últimos dentes). Enquanto o excesso de açúcar, por questões óbvias, exige uma preocupação maior com a higiene do aparelho e da boca.

CTA

2. Higiene bucal

A higiene bucal é, sem dúvida, a grande “pedra no sapato”, tanto de adultos como de crianças que utilizam aparelhos ortodônticos.

Para que ela seja quase perfeita, é preciso não abrir mão do uso da escova ortodôntica, do creme dental recomendado, o raspador de língua, um bom enxaguante sem álcool, uma mistura de água morna com bicarbonato para um bochecho antes da escovação, o fio dental (auxiliado pelo passa fio), entre outros procedimentos.

3. Evite manusear o aparelho

Especialmente quando se trata de aparelhos móveis, o ato de colocá-los e retirá-los constantemente é a principal causa de quebra e demais danos à sua estrutura. Mas a estrutura dos aparelhos fixos também pode ser comprometida pelo excesso de manuseio.

Por isso, o recomendado é evitar o contato excessivo e consultar o seu dentista nos casos em que houver incômodo ou algum outro tipo de dano.

A maioria dos profissionais são unânimes ao afirmar que não há idade para que um indivíduo decida iniciar um tratamento como esse.

Seja por questões estéticas ou para a reabilitação da fisiologia oral, sempre há tempo para corrigir problemas que podem afetar o organismo como um todo.

No entanto, é preciso atentar para o fato de que somente um profissional com boa reputação é capaz de decidir qual a melhor solução para cada caso. Além de evitar transtornos, como a perda e reabsorção de material ósseo, gasto de tempo e dinheiro desnecessariamente, resultados insatisfatórios, entre outros inconvenientes.

Esse artigo foi útil? Satisfez as suas dúvidas no que trata do uso de aparelhos ortodônticos em adultos? Deixe o seu comentário logo abaixo e nos conte sua experiência! E continue acompanhando as publicações do blog.

About the Author:Carolina Caram

Leave a Comment

Whatsapp - 8h às 18h