START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH

naom_58ed0b3d9870a

Pós-operatório do siso: tudo o que você precisa saber

Passar por uma cirurgia exige cuidados e uma recuperação especial. Afinal, trata-se de um procedimento que requer anestesia local ou mesmo geral, com a possibilidade de efeitos colaterais. O pós-operatório do siso é um momento delicado, mas, com alguns cuidados, pode ser bem tranquilo.

O procedimento de extração do últimos dentes molares, popularmente chamados de dentes do siso, deve ser cirúrgico. Foto: Lolame

A recuperação não é uniforme: cada paciente se reabilita de uma maneira distinta. A forma de se alimentar e higienizar a boca deve ser com bastante cautela, para se evitar maiores problemas. O grau de agressividade no procedimento também pode interferir no tempo de restabelecimento do paciente.

Tudo deve ser feito para que a rotina seja alterada o mínimo possível. Dessa maneira, o paciente retoma sua vida normal em bem menos tempo.

A partir de agora, tenha um guia completo  sobre o pós-operatório do dente do siso. E, se você precisa fazer essa cirurgia, terá elementos suficientes para uma boa recuperação.

O que fazer após a extração?

Uma série de cuidados devem ser tomados ao passar por um procedimento como este. Cada um deles traz um ou mais benefícios, que variam conforme a ação tomada. Por isso, é importante estar atento não só a um item, mas ao conjunto.

Acompanhe agora quais são cada um desses cuidados e como eles podem ajudar o paciente a ter uma boa recuperação.

Gelo – compressas

Essa é uma solução caseira e muito eficiente, pois combate edemas e possíveis inchaços, principalmente em procedimentos mais severos, Como já mencionado, o tempo de recuperação costuma variar.

Pacientes com um certo tipo de anatomia também podem precisar mais desse artifício. A musculatura da região, assim como a articulação da mandíbula (ATM) e a amplitude da boca são fatores determinantes para que apareçam edemas durante a recuperação. Consequentemente, esse período pode ser mais lento e requerer mais cuidados.

O inchaço pode surgir também como uma reação do próprio organismo, para que a cicatrização seja mais rápida e eficiente.

As compressas são eficazes quando aplicadas a cada 20 minutos, com duração de 10. Esse cuidado constante deve ser feito nas primeiras 24 horas. Após esse tempo, vale fazer compressas com toalha quente e úmida na área afetada, também a cada 20 minutos.

CTA

Medicamentos

Os medicamentos devem ser usados regularmente, pois são um item importante no pós-operatório do siso Foto: Jarmoluk

É de praxe que o dentista prescreva alguns medicamentos que ajudarão no tratamento e no pós-operatório do siso. A principal utilidade deles é impossibilitar inflamações e/ou infecções.

Os itens mais receitados são anti-inflamatórios (esteroides ou não), antibióticos, sedativos e analgésicos de diversos tipos.

Embora a medicação seja escolhida e prescrita pelo profissional, que pode fazer com que o tratamento varie bastante, os prazos são semelhantes: o paciente toma analgésicos por aproximadamente 3 dias e os antimicrobianos são usados por um período que varia de 5 a 15 dias.

Além disso, enxaguantes bucais especiais podem ser recomendados, bem como géis e outros produtos que garantam a higiene da região.

Em alguns casos, os itens prescritos podem causar mais incômodos. O dentista deve ser informado quando isso ocorrer, pois ele revisará todo os itens usados no pós-operatório e pedir para que alguns sejam descontinuados ou substituídos.

Alimentação

Os sete primeiros dias do pós-operatório do siso são cruciais para uma boa recuperação. Logo de início, o ideal é ingerir apenas alimentos líquidos e evitar comidas quentes, principalmente nos três primeiros dias.

Depois disso, já é possível adotar uma dieta composta por alimentos pastosos e, na região dos dentes do siso, evitar qualquer tipo de mastigação, principalmente de itens sólidos. Dessa maneira, sangramentos e inchaços são evitados e, consequentemente, as infecções.

unnamed
Alimentos quentes devem ser evitados nos primeiros dias após à cirurgia Foto: Egin Akyurt

Além da consistência dos alimentos, é necessário também avaliar o quão nutritivo cada item é. Uma dieta balanceada, mesmo com essa restrição, revigora o sistema imunológico e também ajuda no pós-operatório do siso. O próprio dentista pode ajudar ao sugerir algumas comidas e bebidas que nutrem e não trazem desconfortos e contratempos.

Alguns exemplos de alimentos que podem ser incluídos na dieta são sopas mornas ou frias e sucos.

Repouso

Como já citado, a recuperação varia de acordo com o paciente e o grau de agressividade do próprio procedimento. Por isso, o tempo necessário para repouso também não é uma regra.

Outros fatores, como a técnica usada na cirurgia, idade e condições do paciente e até mesmo o seu dia a dia podem interferir no aumento ou diminuição do tempo de descanso.  

Se o trabalho for, basicamente, serviços de escritório e o paciente permanecer sentado na maior parte do tempo, 2 ou 3 dias de afastamento são suficientes. Já para quem tem uma grande movimentação física, como parte de suas atividades laborais, esse tempo seguramente deve aumentar.

Entretanto, pessoas que fazem atividades físicas regulares precisam de um período maior antes de retomar a vida normal. Uma semana ou 10 dias, em alguns casos, podem ser necessários para que não haja risco de problemas.

image3
O repouso é uma parte importante e permanecer com a cabeça elevada em relação ao resto do corpo evita contratempos Foto: C. Scott

Esses cuidados podem evitar sangramentos e outros contratempos típicos de pessoas que se recuperam de intervenções cirúrgicas.

Travesseiros altos

Esse também é um cuidado que ajuda na reabilitação do pós-operatório de qualquer pessoa que tenha extraído o siso. Assim como ter bons momento de repouso, essa medida pode acabar de vez com o incômodo característico, além de evitar sangramentos no local.

O motivo para isso é simples: ao estar em um plano mais alto do que o restante do corpo, a circulação sanguínea tem uma boa melhora. Assim, os inchaços também deixam de ser notados, além de dores.

Se não for possível conseguir um travesseiro mais alto do que o habitual, não há problema. Você pode dormir com dois deles, um sobre o outro, e terá a chance de adotar essa medida sem maiores dificuldades. Para isso, apenas fique atento à posição, para que a cabeça não escorregue no meio da noite ou você tenha que acordar antes do horário previsto para corrigir esse detalhe.

Para ajudar, você pode colocá-los sob o colchão. Evite fazer movimentos bruscos, bem como se deitar com o lado operado em contato com o travesseiro.

Evite – fumar, tomar bebidas alcoólicas, sol, consumir alimentos quentes, cuspir, bochechar e usar canudos

Qualquer uma dessas práticas pode trazer problemas. O ideal é evitá-las de qualquer maneira, pois o pós-operatório do siso é um momento delicado e os efeitos de tais ações podem prejudicá-lo bastante.

image4
O fumo é também um fator prejudicial nesse processo Foto: Sarah Richter Art

O calor é um dos fatores que atrapalham e deve ser evitado a qualquer custo, pois estimula o sangramento, já comum nos primeiros momentos de recuperação. Exatamente por isso, ingerir alimentos quentes pode trazer problemas. O sol e o fumo também são prejudiciais.

Ainda que a higiente bucal seja imprescindível e o uso de enxaguantes possa ajudar nesse sentido, vale lembrar que o bochecho não é recomendável, pois a movimentação pode fazer com que os pontos se soltem. O movimento de cuspir é outro que pode culminar nesse contratempo.

CTA FINAL 2

Bebidas alcoólicas também são ruins, ainda mais porque é comum tomar medicações nesse período  e essa combinação deve ser absolutamente evitada. E não é só: os inchaços e sangramentos persistem e há o risco de infecções.

Por fim, o uso de canudos para a ingestão de líquidos também compromete esse período de recuperação, por conta do vácuo criado pela sucção de líquidos.

Retorno

Para acompanhar o pós-operatório de extração do siso e também fazer a retirada dos pontos, é comum que o cirurgião-dentista marque um retorno, que normalmente acontece uma semana após o procedimento.

Esse encontro é fundamental, pois o profissional irá avaliar o grau de cicatrização da cirurgia e tomar as medidas necessárias, caso algo não esteja dentro da normalidade.

O retorno pode ser antecipado se o paciente notar algo estranho em relação ao seu progresso. Dores mais fortes ou até mesmo febre podem indicar a necessidade de se consultar o dentista mais rapidamente, em alguns casos com urgência.

Outros sinais para que esse retorno seja reprogramado são o prolongamento de inchaços e sangramento para além dos primeiros dias de pós-operatório do siso.

Ainda que tudo esteja bem, não se pode deixar de ter essa consulta. A avaliação de um profissional nunca deve ser menosprezada.

No entanto, esses aborrecimentos dificilmente acontecem quando todas as medidas citadas no decorrer deste artigo são tomadas. Por isso, o paciente deve segui-las, mesmo porque um de seus desejos, naturalmente, é voltar às suas atividades normais o quanto antes.

Você acabou de ter um guia completo sobre o pós-operatório da cirurgia de extração do siso. Acompanhou a importância de cada item nesse processo e também teve mais informações sobre o momento de visitar o dentista novamente.

Para ter mais informações sobre outros tipos de procedimentos dentários, bem como seus cuidados e objetivos, acesse os outros textos do site e acompanhe as suas atualizações regulares. São conteúdos atualizados e relevantes para quem deseja cuidar de seus dentes adequadamente.

Não deixe de comentar ou entrar em contato em caso de dúvidas ou para obter qualquer informação adicional.

About the Author:Carolina Caram

Leave a Comment

Whatsapp - 8h às 18h